Brasileiro não entende imposto de renda

Nessa frase, há duas orações. Em ambas, o termo “candidato está presente. O
recurso para evitar sua repetição foi o emprego do pronome relativo QUE em seu
lugar. Repare, inclusive, que podemos substituir QUE por O QUAL. O pronome
relativo O QUAL recebe a forma masculina e singular, porquanto se refere ao termo
O CANDIDATO. Se o termo a que estivesse se referindo fosse A PESSOA, já
receberia a forma.

Ex:. Eu conheço os que estavam presentes.
Nesse período, o pronome relativo QUE possui como antecedente o
demonstrativo OS – que pode ser substituído pelo demonstrativo AQUELES. É
fundamental não se olvidar que pronome relativo e pronome demonstrativo nunca
podem estar na mesma oração, sendo que o antecedente do relativo será sempre o
demonstrativo, mesmo que este esteja combinado a uma preposição.

leao da receita federal 600x291 - Brasileiro não entende imposto de renda

De teor histórico-filosófico, os livros de M. Foucault investigam, em determinadas
sociedades e em determinados períodos, quais os modos efetivos e historicamente
variáveis de produção de verdade. Uma consideração que se estende o imposto de renda 2020 para classe abaixo da
sociedade moderna, a partir das suas instituições, diz respeito ao que podemos
identificar como o traço fundamental, comum a todas elas e que, certamente, é
aplicável a toda sociedade. Trata-se do princípio da visibilidade. A um tempo global
e individualizante, a visibilidade constitui uma espécie de princípio de conjunto.

À primeira vista sinal de transparência e de revelação da verdade, pode-se contudo
questionar se o gesto de mostrar-se, de deixar-se ver, significaria uma postura
despojada de desvelamento da verdade de cada um ou se o desnudamento de si
mesmo não seria uma injunção, se a exposição de si não encobriria uma certa
imposição decorrente das regras que regem nosso modo de produção da verdade.

Acrescentemos que a investigação que quer melhor compreender nossa época não
pretende apenas situá-la pela sua diferença com o que a precede, mas também,
sobretudo, instigar mudanças que, a partir e do interior do nosso presente, possam
inaugurar perspectivas outras na direção do que está por vir.

A segunda metade dos anos 1990 foi caracterizada por crises nos países
emergentes: México, Rússia, Brasil e Argentina. Em todos os casos, os países
recorreram ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para resolver seus problemas
de endividamento externo e tiveram que se submeter a rigorosos programas de
ajuste fiscal (redução de gastos públicos e aumento de impostos) e das contas
externas exigidos pela organização.

Após o período de retração do nível de
atividade e aumento do desemprego, durante o qual a relação dívida/PIB e os
déficits fiscais se acomodaram em níveis compatíveis com a capacidade de
financiamento, todos os países, Ã exceção da Argentina, entraram em trajetória de
crescs mento, com estabilidade de preços.

Como os fundamentos fiscais e
monetários destes países estavam fortes, com equilíbrio fiscal, relação a Restituição de imposto de renda 2020 e
inflação sob controle, seus governos e bancos centrais puderam adotar políticas
fiscais, monetárias, de crédito mais frouxas, que reverteram a trajetória de queda já no segundo trimestre de 2009.

É a coesão que se estabelece pela conexão dos sentidos dos termos envolvidos no
texto, assim, esse tipo de coesão se dá pelas relações de sinonímia, antonímia, hiperonímia e hiponímia.

Precisamos ter em mente que, apesar de alguns termos possuírem seus sinônimos
e antônimos facilmente identificáveis como acontece em ‘bonito x belo’ e ‘feio e
belo’, muitas das vezes, as provas de concursos trabalham com sinônimos e
antônimos que se adéquam ao contexto em que os termos estão inseridos.

Por isso, precisamos saber identificar determinado vocábulo no texto e não apenas
substituí-lo como um sinônimo ou antônimo. Por exemplo, é natural que
consideremos que o vocábulo ‘velho’ seja um antônimo perfeito para ‘novo’, por
isso, podemos entender que o antônimo de ‘encontrei um homem velho’ é
‘encontrei um homem novo’.

Por outro lado, se temos a situação ‘não coma o pão
que está velho’, utilizaríamos como antônimo o vocábulo ‘fresco’ em ‘hoje comprei
um pão fresco’. Percebemos assim que os vocábulos devem ser utilizados de
forma adequada ao contexto em que se inserem, pois, se na primeira situação, nós
utilizássemos o termo ‘fresco’ em vez de ‘novo’, não estaríamos apresentando um antônimo apropriado à situação.

Vote

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *